segunda-feira, 29 de junho de 2009

Justa homenagem a Paulo Victor


Galera Tricolor, o nosso ex-goleiro e ídolo Paulo Victor, atualmente com 52 anos, recebeu antes do Fla-Flu uma grande homenagem. Ele colocou suas mãos na Calçada da Fama do Maracanã, q já conta com a marca de 97 craques do futebol brasileiro e internacional, como Pelé, Rivelino, Kaká e Beckenbauer. Paulo Victor vestiu a camisa 1 do nosso Fluminense entre 1981 e 1987, tendo participado de 358 jogos e sofrido 278 gols. Ficou sem levar gols em 179 partidas. É o segundo goleiro que mais atuou na história do clube, somente atrás do mito Castilho. Pelo Tricolor, foi Tricampeão Carioca 1983-84-85, Campeão Brasileiro 1984, marcou muito na história no Fluminense pela sua segurança e belas defesas no gol tricolor. Foi ainda campeão do Torneio de Seul, Paris e Copa Kirin 1987. Foi líder de uma das gerações mais vitoriosas da história tricolor. No Campeonato Carioca de 1985 teve uma média de apenas 0,5 gols, com os 12 gols tomados em 24 jogos e no Campeonato Brasileiro de 1982, uma média de 0,52 gols, a média de gols mais baixa dos goleiros do Fluminense em Campeonatos Brasileiros até hoje. Toda grande defesa ( Aldo, Vica, Ricardo Gomes, Branco ) depende de um grande goleiro, daí o sucesso deste exemplar jogador e ídolo tricolor. Tais campanhas o levaram à seleção brasileira, pela qual participou da Copa do Mundo de 1986, injustamente como reserva de Carlos. Disputou oito jogos como titular do Brasil. O ex-camisa 1 do Flu foi o oitavo goleiro a deixar sua marca na Calçada da Fama do Maracanã. Antes dele, Gylmar dos Santos Neves, Leão, Raul, Barbosa, Manga, Castilho ex-Flu e Félix ex-Flu - já foram homenageados. Paulo Victor é um dos nomes q mantém a tradição do Fluminense de ter grandes goleiros. Ídolo dos anos 80, manteve a linhagem de Marcos Carneiro de Mendonça, Castilho, Veludo, Félix e Paulo Goulart. Para a maioria dos Tricolores, ainda não foi substituído à altura, desde que deixou as Laranjeiras. Ele jogou ainda nos seguintes clubes: Operário, Vila Nova, Atlético-MG, Goiás, América, Coritiba, Sport, Remo, Paysandu e Volta Redonda. Em 1994, seu último ano como jogador, jogando pelo volta Redonda, a prova de q o carinho pelo ídolo nunca morre, ele defendeu um pênalti cobrado por Ézio, mas mesmo assim foi aplaudido pela nossa torcida. Após o jogo bastante emocionado e chorando revelou mais uma vez seu amor pelo Tricolor e lamentou ter um dia saído do Fluzão.


Saudações Tricolores,



2 comentários:

Soraya Deminicis disse...

Olá Rafael!

Eu também sou uma apaixonada pelo Flusão e grande saudosista da atuação do goleiro Paulo Vitor, o melhor que o Flu já teve até hoje.
Acho que se ele estivesse com a gente na Libertadores teríamos levado a taça...
Soraya/ Rio

Leandro Lira disse...

Pra mim Paulo Victor foi o melhor goleiro de todos os tempos!!! Um abraço e, com todo o respeito, saudações rubro-negras!!!